21 de setembro de 2016

Líderes mundiais deixaram Temer falando às moscas na ONU

Na abertura dos debates da 71 ª Assembleia Geral da ONU, as delegações do Equador, Venezuela, Costa Rica e Nicarágua abandonaram o plenário durante o discurso do presidente do Brasil Michel Temer, nesta terça-feira (20).

Enquanto Temer ressaltava o "compromisso inegociável" do Brasil com a democracia, sua fala era rejeitada pelos representantes desses países, que deixaram o local como forma de protesto, por considerarem o impeachment de Dilma Rousseff ilegítimo. Representantes de Cuba e da Bolívia nem ingressaram no salão.

Pelo Twitter, o presidente do Equador, Rafael Correa, expressou sua indignação contra o atual mandatário brasileiro, que não citou o termo impeachment, mas ressaltou que o processo que culminou com a saída de Dilma da presidência obedeceu a Constituição brasileira.

— Destituíram Dilma. Uma apologia ao abuso e à traição. Retiraremos nosso representante da embaixada. Jamais reconheceremos estes.

Na ONU, Temer diz que impeachment seguiu dentro da legalidade

Já o governo da Venezuela, que também atravessa um período de instabilidade política, reafirmou, na ocasião da posse de Temer, que as relações políticas e diplomáticas com o Brasil estão congeladas.

— O governo da República Bolivariana da Venezuela, em resguardo da legalidade internacional e solidária com o povo do Brasil, decidiu retirar definitivamente seu embaixador da República Federativa do Brasil e congelar as relações políticas e diplomáticas com o governo surgido a partir deste golpe parlamentar.

Veja o vídeo da Telesur em que representantes abandonam a sessão durante o discurso de Temer.

Fonte: R7

Um comentário:

  1. Quais os países mesmo? Todos que sairão tem um histórico pouco democrático para não dizer ditador ou devemos clamar por Hugo Chaves?

    ResponderExcluir

O usuário é responsável pela repercusão do comentário!