27 de maio de 2016

Menor teria sido estuprada por mais de 30 homens no Rio de Janeiro

Um rapaz para se vingar da namorada, que supostamente o traia, chamou 29 "amigos" e juntos supostamente estupraram a adolescente. A "barbárie" foi filmada e postada no Twitter, na tarde da última quarta-feira (25), se tornando logo o assunto mais comentado da rede social por receber milhares de críticas. Os usuários do Twitter não acreditavam que alguém fosse capaz dessa barbaridade.

O crime chocou pela violência, não de um, mas de trinta homens que ainda tiveram a audácia de registrar as cenas cruéis e levar a público. O crime chocou o país e milhares de pessoas do bem logo se prontificaram a denunciar o perfil que estava divulgando o vídeo e este foi cancelado pelo Twitter. A polícia também foi informada e logo começou a investigação para descobrir não só o responsável pela postagem, mas também os autores do estupro coletivo.

A Polícia Civil identificou um dos criminosos como "Michel" e teria sido este o responsável por divulgar o vídeo do estupro coletivo no Twitter. Na gravação, a garota está praticamente desacordada enquanto é abusada pelos homens. Ela ainda tem suas partes íntimas filmadas e é debochada duramente. No próprio vídeo, um dos homens afirma que foram mais de 30, enquanto outro filma o órgão genital da jovem.

Os protestos no Twitter fizeram com que a empresa logo cancelasse o perfil do homem responsável pela divulgação do vídeo, mas isso não impedirá a polícia de continuar com as investigações. É bastante importante que as pessoas que tenham alguma pista façam a denúncia para ajudar a agilizar o processo.

A garota foi avistada por um homem em uma praça e ele levou-a até sua residência, de onde havia saído há alguns dias e não vinha dando notícias.

A avó da menina disse que ficou chocada com o que viu no vídeo e que a neta sempre teve o hábito de ir às comunidades, onde ficava por alguns dias. Desde os 13 anos que a garota frequentava o local, mas nunca que a família poderia imaginar que ela seria vítima de um abuso coletivo.

A polícia segue com as investigações e prefere não revelar as identidades agora para não atrapalhar o caso. Quem tiver alguma pista deve informar à polícia o quanto antes.

Fonte: Central das Notícias

Um comentário:

O usuário é responsável pela repercusão do comentário!