14 de maio de 2016

O fruto do golpe: um governo machista, racista e... descaradamente, corrupto!

Do blog Pio XII Contra o Golpe

O fruto do golpe: um governo machista e... corrupto.

Aprovado o impeachment, o governo Temer é o fruto do golpe que maculou a democracia no Brasil e manchou a imagem do país na comunidade internacional.

E aí, o que você tem a dizer? Sim, você mesmo que dizia lutar contra a corrupção, postou foto do Sérgio Moro no seu facebook, difundindo a ilusão de que o juiz de terno preto combatia todos os corruptos e não apenas alguns, como se tem constatado; sim, você que evitou criticar o Eduardo Cunha, ignorando suas contas secretas na Suíça e seu envolvimento na Lava Jato, deixando-o à vontade para comandar o circo de horrores do impeachment; você que acha “engraçado” o nazi-fascismo do Bolsonaro para vê-lo atacar a presidenta Dilma (pelamordedeus, qual a graça existente na tortura, na violência em geral e na boçalidade?); sim, você que compactuou com o golpe, me diga, como você agora explica esse governo, composto por um presidente e sete ministros citados na operação Lava Jato?

Michel Temer (PMDB) é citado como beneficiário nos escândalos de corrupção que são alvo da força-tarefa.

Romero Jucá (PMDB-RR), ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão está na lista de investigados que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao Supremo Tribunal Federal no início de 2015, citado como beneficiário dos esquemas de corrupção.

Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), da Secretaria de Governo, foi citado em mensagens apreendidas pela Operação Lava Jato que sugerem que ele usou sua influência para atuar em favor dos interesses da construtora OAS.

Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), ministro do Turismo, é suspeito de receber propinas do dono da OAS, Léo Pinheiro, em troca de favores no Legislativo.

Os ministros: da Educação, Mendonça Filho (DEM-PE), da Defesa, Raul Jungmann (PPS-PE), das Cidades, Bruno Araújo (PSDB-PE) e da Saúde, Ricardo Barros (PP-PR), são citados na famigerada lista da Odrebrecht apreendida pela Polícia Federal na sede da construtora, em março, durante a 23ª fase da Lava Jato.

O governo que resulta do golpe é também um governo misógino: não possui nenhuma mulher nos ministérios, fato que não acontecia desde o governo Geisel (1974-1979), durante a ditadura militar, o que mostra que muitas das expressões de ódio contra Dilma Roussef eram, na verdade, dirigidas às mulheres em geral. Dos 24 ministros de Termer, nenhuma mulher. E nenhum ministro negro, 128 anos depois do fim da escravidão em nosso país, “comemorado” ontem, 13 de maio.

Preparem-se para os dias que virão, inclusive você “ingênuo” combatente da corrupção que ansiava pelo fim do governo do PT.

Colaboração: Professora Iara Portilho

Um comentário:

  1. Lamentável um tido formador de opinião não se iterar da legislação brasileira e se deixar levar pela paixão partidária.

    ResponderExcluir

O usuário é responsável pela repercusão do comentário!