25 de março de 2016

Olho d’Água das Cunhãs vive clima de insegurança e violência

A população de Olho d’Água das Cunhãs foi novamente sacudida na noite de ontem (25), com a triste notícia de um crime num bairro da pacata cidade de menos de 20 mil habitantes.

O clima de insegurança se instalou na cidade, que vivencia uma onda de violência jamais vista. Aquele ar de cidade pequena e tranquila do interior, foi substituído pela desconfiança, medo e retração da população.

Os crimes de furtos, roubos, assaltos, trafico de drogas, homicídios e latrocínio ou acerto de contas, como o que supostamente aconteceu nesta quinta-feira, tem levado populares a colocar em cheque a atual segurança no município, que teve interferência direta do prefeito Rodrigo Oliveira. O descontentamento de boa parte da população, talvez não seja com a atuação do atual contingente da PM, mas a forma que foi interrompido o trabalho do ex-comandante Sargento-PM B. Costa, que diga-se de passagem, era bastante eficiente.

Dois cidadãos vítimas de ataques as suas respectivas residências, que tiveram filhos e esposas na mira de armas pesadas, sob constates ameaças, após passaram grandes humilhações, cenas de terror e levarem grandes prejuízos, resolveram soltar o verbo e pedir a volta de B. Costa.

Infelizmente, as pessoas precisam se tornar vítimas da violência, para entender que com segurança pública não se brinca.

Os “acordos” realizados por alguns donos de sons automotivos aliados políticos do atual gestor, quando ainda era candidato a prefeito em 2012, tem responsabilidade direta na saída do antigo comandante e consequentemente na série de crimes ocorridos. Quem pediu pra tirar e quem removeu o sargento, deve assumir as eventuais culpas, pois numa decisão de tamanha irresponsabilidade, deve-se receber os méritos, pelos ônus e bônus.

Na contramão do ego de alguns, fica a população de Olho d’Água das Cunhãs, impedida do simples habito de sentar na porta, apavorada com os assaltantes de celulares, viajar e ter a casa e comércio arrobado ou furtado, perder o que conquistou com duras penas, e o pior, perder os entes queridos como no trágico episódio da Vila Elvira, que vitimou o filho do senhor Moraes.

Enquanto os amigos do prefeito literalmente “abrem a mala e soltam o som”, o povo dança sem querer sob ameaça e violência dos bandidos.


A pergunta que fica suspensa é a seguinte: quem vai assumir a responsabilidade por tudo isso???                       

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O usuário é responsável pela repercusão do comentário!