22 de fevereiro de 2016

Prefeito de Santa Inês encontra contas zeradas e decreta estado de emergência

O novo prefeito de Santa Inês, Ednaldo Alves Lima, o Dino Alves (PT), que foi empossado  quinta-feira (18), vai decretar estado de emergência no município, diante do colapso financeiro encontrado na Prefeitura. Segundo ele, não há dinheiro em caixa sequer para pagar os salários de janeiro do funcionalismo público e faltam ainda alimentos, medicamentos e outros itens nos hospitais municipais.

O prefeito disse que foi surpreendido quando, após regularizar sua situação junto ao sistema financeiro, tentou fazer o repasse mensal para a Câmara de Vereadores e não encontrou um centavo em nenhuma das contas da prefeitura. E o mais grave: R$ 107 mil foram transferidos para a conta de uma empresa, no mesmo dia em que foi empossado, ou seja, quando Ribamar Alves já não era mais prefeito.

Ednaldo Lima disse que já orientou sua assessoria jurídica para tomar as medidas legais contra aqueles que dilapidaram o dinheiro público e os que fizeram as transferências indevidas, já que um novo prefeito estava investido no cargo e sequer tomou conhecimento da transação.

O prefeito disse que ficou chocado com a situação em que se encontram os hospitais e os postos de saúde, pois faltam alimentos e remédios para os pacientes, bem como oxigênio e outros itens fundamentais para o bom funcionamento de uma casa de saúde.

 Há falta também de merenda escolar para as crianças da rede municipal.

Todos os secretários já foram orientados a fazer levantamentos da situação em suas pastas se encontram para que sejam tomadas as medidas necessárias com vistas ao funcionamento da máquina pública.

Para o novo prefeito, outra situação grave vai ser a do funcionalismo público, pois ele adianta que não dispõe de recursos para honrar os salários de janeiro, a menos que haja um socorro financeiro. Ele diz também que não tem dinheiro para custeio, compra de material, e se for depender de licitação os problemas tendem a se agravar mais ainda, daí porque necessita do estado de emergência para tomar as medidas mais urgentes.

O ex-prefeito Ribamar Alves está afastado das funções desde o dia 29 de janeiro quando foi preso acusado de praticar estupro contra uma jovem de 18 anos. Ele se encontra recolhido no Complexo Penitenciário de Pedrinhas desde esta data, mas somente no dia 15 deste mês a Câmara Municipal se pronunciou sobre o assunto, quando lhe concedeu uma licença de 30 dias, mas não empossou o vice.

Por determinação judicial, Ednaldo Lima foi empossado na quinta-feira (18), ou seja, durante todo esse período o município ficou sem um gestor e os secretários recebendo ordens de dentro do presídio onde o ex-prefeito está recolhido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O usuário é responsável pela repercusão do comentário!