3 de junho de 2015

Maranhenses buscaram apoio em Aparecida a territórios pesqueiros

Um grupo de pescadores e pescadoras maranhenses viajou até a cidade de Aparecida-SP, em busca de assinaturas em prol da Campanha Nacional pela Regularização do Território das Comunidades Tradicionais Pesqueiras, através de um Projeto de Lei de iniciativa popular.

Liderados pela coordenadora do MPP-MA Luciene Oliveira pescadores e lideranças de várias cidades do estado, como: Cedral, Paço do Lumiar, São Luís, Igarapé do Meio, Olho d’Água das Cunhãs e Pio XII. Esta última tem sido fiel representante do estado nos eventos realizado pelo MPP pelo país. Ponto de partida das viagens, tem uma militância forte e consciente da importância na participação dos pescadores em busca de direitos.


No mês de abril, Luciene Oliveira conseguiu diretamente com o Ministro da Pesca e Aquicultura Helder Barbalho, o desbloqueio de aproximadamente 200 (Duzentos) pescadores piodozenses, que tiveram seus registros e carteiras canceladas indiscriminadamente sem nenhum critério logico, algo repudiado na presença no próprio ministro, que de pronto acatou a solicitação da coordenadora do MPP-MA e reintegrou os pescadores ao sistema do MPA.

Nesta viagem, os pescadores seguiram, como de praxe, numa cansativa viagem de ônibus, até o santuário nacional de Aparecida-SP, onde coletaram muitas assinaturas, embora o mal tempo tenha dificultado o trabalho das equipes.

A população, autoridades religiosas e o prefeito de Aparecida do Norte receberam as caravanas de 07 (Sete) estados do país, entre eles: Pernambuco, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Piauí, Ceará, Bahia e Maranhão, que levou a maior equipe entre os presentes.

O MPP recebeu apoio incondicional da Igreja, que pediu a colaboração dos fieis presentes nas missas e nos pontos de visita do santuário.

Segundo as lideranças do Movimento dos Pescadores e Pescadoras Artesanais, o resultado foi satisfatório e deve intensificar nos estados, em festas e demais eventos para conseguir 1,5 milhão de assinaturas e aprovar de forma direta a lei que dará direito às comunidades tradicionais pesqueiras.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

O usuário é responsável pela repercusão do comentário!