27 de abril de 2015

Rally do prefeito causa risco e irritação ao povo de Olho d'Água

Motoqueiro sem equipamentos de segurança (Capacete e demais)
Principal patrocinador do “Rally Lama no Olho” o prefeito de Olho d’Água das Cunhãs Rodrigo Oliveira investe (Torra o dinheiro público) na baderna e esquece da cidade.
Lamentável a situação da população olhodaguense principalmente idosos e crianças pequenas, que tiveram o sossego quebrado pelo barulho de motos, devidamente projetadas para incomodar.

O barulho ensurdecedor começou dias antes do evento, quando alguns participantes mais exaltados, removeram os escapamentos (canos de descargas), saíram andando pelas ruas em suas motocicletas.
Imprudência nas manobras e risco desnecessário

Motoqueiros se arriscaram literalmente em manobras na praça principal, sem qualquer equipamento de segurança exigido. (Veja a foto). Por conta, disso alguns contratempos negativos foram registrados na própria praça.

Veja o que diz a lei:

Esse tipo de veículo, a “moto de trilha”, sem placa, documentação e sem os assessórios obrigatórios, como faróis, setas, escapamentos, entre outros, NÃO PODE circular pelas ruas da cidade. Quem pratica essa atividade esportiva como meio profissional ou mesmo como “hobby”, um meio de diversão, deve colocar a moto sobre um reboque (uma carretinha ou caçamba) e levá-la até a área rural. Mesmo assim, é necessário que o proprietário tenha em mãos a nota fiscal da moto para comprovar sua procedência no caso de uma eventual fiscalização da Polícia. Quem praticar a conduta ilegal de circular com a moto pelas ruas da cidade sem os itens obrigatórios e sem a documentação em dia terá o veículo apreendido.
Prefeito Rodrigo Oliveira (Agachado de calça vermelha, blusa preta)

O ordenamento jurídico vigente, em especial o Código de Trânsito Brasileiro, instituído pela lei nº 9.503 de 1997, não veda a fabricação, importação, posse e uso de veículos para emprego fora-de-estrada, para realização de enduro, trilha, rally, motocross, entre outras práticas esportivas. No entanto, os veículos exclusivamente destinados a essas atividades NÃO PODEM transitar em via pública se não possuírem todos os equipamentos obrigatórios estabelecidos pelo Código de Trânsito e pelo CONTRAN, nem atenderem aos requisitos e condições de segurança legalmente estabelecidos, bem como estiverem registrados e devidamente licenciados para o exercício atinente, por força dos artigos 103, 120 e 130 do Código de Trânsito Brasileiro.

Conduzir, em via pública, veículo que não esteja registrado e devidamente licenciando, constitui infração gravíssima, tipificada no art. 230, inciso 5º, do Código de Trânsito Brasileiro, sujeitando o infrator às penalidades de multa e apreensão do veículo, além da medida administrativa de remoção do veículo.
Infelizmente, a lei é descumprida com a maior naturalidade em Olho d’Água das Cunhãs, onde recebe total apoio do gestor, quem na realidade deveria primar pela ordem.

Enquanto os apaixonados pela brincadeira se divertem nas ruas da cidade, a população se sente incomodada. Alguns desabafaram nas redes sociais e esculhambaram o prefeito.

Imagino que o povo reconheça o direito de diversão dos brincantes no rally, mas o direito de cada um termina onde o do outro começa. As motos devem circular nas trilhas e não nas ruas, onde tira o sossego e eleva os riscos de acidentes, pela imprudência e irresponsabilidade de alguns participantes, que fazem toda estripulia aliado ao consumo de bebidas alcoólicas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O usuário é responsável pela repercusão do comentário!