19 de abril de 2014

Narrador Luciano do Valle morre em Uberlândia-MG

Faleceu, na tarde deste sábado (19), o narrador esportivo Luciano do Valle. As causas da morte ainda são desconhecidas. Sabe-se que Luciano do Valle passou mal no avião a caminho de Uberlândia, onde foi internado no Hospital Santa Genoveva, mas não resistiu. Na cidade mineira, Luciano do Valle faria a transmissão da partida entre Atlético-MG e Corinthians, no Estádio Parque do Sabiá.

A morte foi confirmada pela Rede Bandeirantes, emissora em que o jornalista trabalhou durante grande parte de sua carreira - de 1983 a 2003 e depois de 2006 até hoje.

Luciano do Valle marcou época na década de 70 e, além de narrar futebol, foi um dos grandes ícones na divulgação dos esportes olímpicos, popularizando atletas como Maguila e a geração de prata do vôlei masculino Brasileiro.


O narrador começou a carreira com apenas 16 anos, como locutor da Rádio Brasil, em Campinas, São Paulo. Quatro anos depois, ele trabalhou na Rádio Gazeta, seu trampolim para a televisão. Foi narrador da TV Globo por 11 anos e narrou futebol e também Fórmula 1, no tempo de Emerson Fittipaldi.

Além de narrador, Luciano do Valle foi um incentivador do esporte, ajudando nos bastidores da carreira de Maguila, da Fórmula Indy e organizando o célebre jogo de vôlei entre Brasil e União Soviética, no Maracanã, em 1983.

A reação à morte de Luciano do Valle foi imediata. No confronto entre Vasco e América-MG pela Série B do Campeonato Brasileiro, um minuto de silêncio foi respeitado por conta de seu falecimento. nas redes sociais, muitos jornalistas esportivos, assim como atletas, também prestaram homenagem ao locutor.

Comentarista da TV Bandeirantes, o ex-jogador Neto se emocionou ao falar sobre o companheiro de profissão: "Ele não estava muito bem de saúde, não, nos últimos tempos. Ele me ensinou muitas coisas e se, hoje, eu sou o comentarista que sou é por causa dele. Trabalhei com ele por dez anos. As pessoas precisam passar a respeitar mais as pessoas como o Luciano, porque ninguém sabia que ele estava um pouco doente em determinados momentos. Eu precisava abrir o copo d’água para ele, colocava a cadeira para ele sentar. O grupo Bandeirantes perdeu um cara assim fenomenal. A Copa não vai ser a mesma sem ele".

Fonte: Terra esportes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O usuário é responsável pela repercusão do comentário!