27 de setembro de 2013

PF revela desvio de recursos federais em 32 Prefeituras do MA

Até agora, foram apresentadas provas concretas dos desvios de dinheiro público em sete municípios. Gláucio Alencar e o pai dele, José Miranda, prestaram depoimento.

Está constatado que houve desvio de recursos federais em 32 Prefeituras Maranhenses, comandados pela quadrilha de agiotas no Estado. Os dados são da Superintendência da Polícia Federal no Maranhão.

A Operação Cheque em Branco, que investiga a atuação de agiotas no Estado, mostram que o grupo de agiotas chefiado por Gláucio Alencar e seu pai, José Alencar Miranda, liderava o desvio de verba que iria, principalmente, para a merenda escolar.

Ainda, segundo dados da PF, em 90% das prefeituras do Estado existem indícios de desvio de recursos públicos. Até agora, foram apresentadas provas dos desvios de dinheiro de sete dos 32 municípios investigados: Arari, Serrano do Maranhão, Pedro do Rosário, Paulo Ramos, Cajapió, Vitória do Mearim e Turilândia. Existem, atualmente, na Polícia Federal, pelo menos, 700 inquéritos de investigação de desvio de dinheiro público.

Depoimento

Na manhã desta sexta, os empresários Gláucio Alencar e José de Alencar Miranda prestaram depoimento na sede da Polícia Federal, no bairro da Cohama, em São Luís.

Assassinato

Gláucio Alencar e José Alencar Miranda estão presos, em São Luís, suspeitos de serem lideres de uma quadrilha de agiotas que também estaria envolvida na morte do jornalista Décio Sá, em abril do ano passado. O jornalista foi executado a tiros em um bar, na Avenida Litorânea, após denunciar a morte do empresário Fábio Brasil, em Teresina. Fábio Brasil estaria devendo a quadrilha de agiotas e foi executado em via pública na capital do Piauí.

Usura II

A Operação Usura II foi deflagrada no último dia 25, pelo Departamento de Polícia Federal em conjunto com a Controladoria Geral da União – CGU, para apurar o desvio de recursos públicos federais nos municípios maranhenses de Bacabal e Zé Doca. Foram cumpridos 19 mandados de condução coercitiva e dez mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Juízo da 1ª Vara da Justiça Federal de São Luís, para serem executados nos municípios maranhenses de São Luís, Bacabal, Pedreiras, Zé Doca e Caixas.

A Operação é um desdobramento da Operação Usura, deflagrada em maio/2011, que evidenciou desvios de recursos públicos federais do município de São João do Paraíso/MA, para o pagamento de ações de agiotagem.

Trata-se de uma fase da investigação onde se tenta obter declarações de pessoas envolvidas na investigação e a busca de documentos pertinentes às provas já obtidas.

A operação contou com a participação de 70 policiais e 11 servidores da CGU.

Do Imirante

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O usuário é responsável pela repercusão do comentário!