6 de junho de 2013

Ministro da Saúde exonera diretor após campanha para prostitutas

Após a divulgação de uma campanha para o Dia Internacional das Prostitutas com a frase "Sou feliz sendo prostituta", o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, determinou a exoneração do diretor do Departamento de DSTs, Aids e Hepatites Virais do ministério, Dirceu Greco.

A campanha foi lançada no último fim de semana nas redes sociais pelo departamento dirigido por Greco. Nesta terça-feira, porém, Padilha recuou e disse que a campanha ainda depende de aprovação.

"Enquanto eu for ministro, não acho que seja uma mensagem a ser passada pelo Ministério da Saúde", afirmou Padilha. Para o ministro, veiculado como possível candidato do PT ao governo de São Paulo, a pasta deve se limitar a divulgar campanhas com foco na prevenção das DSTs.

O ministério disse em nota que a peça "não foi aprovada pela Assessoria de Comunicação Social, como ocorre com todas as campanhas". A pasta acrescentou ainda que a campanha foi elaborada a partir de oficina de comunicação comunitária conduzida pelo Departamento de DSTs com representantes desse público alvo.

Ele diz ainda que as peças estão agora sendo analisadas pela assessoria e que serão disponibilizadas se aprovadas.

Após a divulgação da campanha, deputados da bancada evangélica dispararam ataques à presidente Dilma Rousseff e cobraram explicações do ministério. "O que o governo faz é um crime, é apologia à prostituição. O governo está patrocinando um crime ao defender essa conduta", disse o deputado Marcos Rogério (PDT-RO).


Fonte: Folha.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O usuário é responsável pela repercusão do comentário!