5 de fevereiro de 2011

Preso morador de Olho d'Água suspeito de executar vereador de Paulo Ramos

Foi apresentado na tarde de ontem, na Secretaria de Segurança Pública do Maranhão, Sandro de Aragon Freire de Alencar. Ele é acusado de ser o executor do vereador de Paulo Ramos, Francisco Cleber Neres Correa, assassinado em janeiro de 2009, em Lago da Pedra. Sandro foi preso no município de Olho d’Água das Cunhãs, na última terça-feira, 1°, depois de ter agredido sua filha e sua mulher.


Segundo informações repassadas pelo delegado Guilherme Sousa Filho, da Delegacia de Homicídios, responsável pelo inquérito policial, o crime aconteceu no dia 8 de janeiro de 2009. Dois homens em uma moto Honda Titan de cor prata, que teria sido alugada, invadiram a casa do vereador, no povoado Jejuí, no município de Lago da Pedra, e o executaram com vários tiros.

Na ocasião, Francisco Neres estava acompanhado de um casal de amigos, Raimunda Pereira Silva e Joacy Pereira de Oliveira, que também foram baleados. Assim como o vereador, Raimunda faleceu no local do crime.

Conforme as investigações, os dois homens seriam Sandro e seu comparsa, identificado como Itamar – o “Peteleco”. Sandro, que era primo do vereador, teria sido o autor dos disparos e, ao fugir, deixou cair seu boné que ajudou a polícia a iniciar as investigações.

De acordo com o delegado Guilherme Filho, tudo indica que o crime foi um consórcio formado por José Freire de Andrade, o “Zezito Freire”; José Freire Andrade Filho, o “Andrade”; e Francisco Weltran Arruda, o “Weltran”; respectivamente pai e irmãos do vereador. Eles seriam os mandantes do crime.

Nos laudos do inquérito consta que, desde que Francisco Neres decidiu romper politicamente com o pai, em favor da oposição, nas eleições de 2008, ele vinha sofrendo ameaças. Após as eleições municipais, quando Francisco se elegeu vereador, elas teriam se intensificado, ao ponto de o parlamentar ter sofrido uma tentativa de homicídio e ainda ter recebido a afirmativa do próprio pai de que ele não tomaria posse na Câmara Municipal. O vereador chegou a tomar posse, entretanto, sete dias após as eleições foi assassinado.

De acordo com o delegado Guilherme Sousa Filho, a polícia só pode requerer agora a prisão preventiva de Sandro pelo crime de homicídio, pois somente com a sua captura, na última terça-feira, foi possível conseguir a sua qualificação completa. “Antes, a única informação que tínhamos era que ele seria conhecido como Sandro Leitão. Entretanto, com a prisão de Sandro, temos a convicção de que vamos conseguir identificar todos os mandantes e coautores do crime, e pedir as suas respectivas prisões preventivas, no prazo de dez dias que temos para concluir o inquérito”, declarou Guilherme Sousa.

Por medidas de segurança, Sandro Freire foi transferido para São Luís, onde foi interrogado na Delegacia de Homicídio; e, em seguida foi encaminhado para o Centro de Triagem, em Pedrinhas.

Fonte: Jornal Pequeno

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O usuário é responsável pela repercusão do comentário!