22 de fevereiro de 2011

Ex-vereador do MA é preso acusado de pertencer à quadrilha especializada em assaltos a bancos no Norte e Nordeste

Em uma operação realizada na madrugada de ontem, nas cidades de Imperatriz e São Luís, as polícias Civil do Maranhão e do Pará desarticularam uma quadrilha especializada em assaltos a bancos na região Norte e Nordeste. Sete pessoas foram presas, sendo duas em São Luís e cinco em Imperatriz; contra elas haviam mandados de prisão expedidos pela Justiça do Estado do Pará e pela Justiça do Maranhão.

Foram detidos em Imperatriz, Ruan Murilo Almeida Silva, Pablo da Rocha Guimarães, conhecido como “Escobar”; Rayrisson Ribeiro da Silva, o “Biroio”; Carlos Alexandre Marques da Silva, o “Quenga”; Francisco dos Santos Silva, o “Super 15”. Em São Luís, houve a captura de José Estevam Faria e Jorge Carlos dos Santos, o “Zoião”. Eles são acusados de terem assaltado, com requintes de crueldade, várias agências bancárias no Maranhão e Pará.

A operação contou com o apoio da Superintendência Estadual de Investigação Criminal (Seic) e com o Serviço de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Maranhão. O prejuízo gerado pela quadrilha aos bancos roubados chega ao valor de R$ 4 milhões.

De acordo com o secretário de Segurança Pública, Aluísio Mendes, o bando é altamente perigoso e agia geralmente em municípios pequenos e com pouco policiamento. “Essa quadrilha chegava aos municípios fuzilando os quartéis de Polícia Militar, delegacias da Polícia Civil e destruíam parte das agências que eram seus alvos. Além de fazerem clientes e funcionários reféns”, relatou o secretário.

A quadrilha é acusada de assaltar a agência do Banco do Brasil em Cururupu e Pio XII; agência do Bradesco, no município de Formosa da Serra Negra, em setembro de 2010; e de ter feito um tenente da Polícia Militar refém. Eles são acusados de ter realizado um assalto no dia 8, deste mês, à agência do Banco do Brasil, no município de Baião, no PA. Lá, quinze homens armados com fuzis chegaram atirando e fizeram o segurança da agência refém, e ainda fizeram um escudo com todos os clientes, que foram colocados na frente do banco para facilitar a fuga dos bandidos.

Segundo com delegado geral, Nordman Ribeiro, a quadrilha estava sendo investigada a cerca de três meses, e começou a ser monitorada com mais rigor desde o assalto ocorrido ao Banco do Brasil, no município de Baião. Com os acusados não foram apreendidos armamentos.

Armas – Em relação às armas de grosso calibre usadas em assaltos a banco, a Polícia Civil continua investigando para encontrá-las. “Temos evidências de onde estejam as armas. Vamos trabalhar com cuidado para desarmamos esses bandidos”, disse o secretário Aluísio Mendes.

Os presos prestaram depoimento na Seic e foram levados para o Centro de Triagem, em Pedrinhas, onde vão aguardar a remoção para a Delegacia de Repressão ao Crime Organizado do Pará (DRCO). Somente José Estevam Faria vai ficar no Maranhão, pois o mandado de prisão foi expedido pela Justiça deste estado. A polícia continua investigando outros membros da quadrilha. O acusado José Estevam exerceu mandato de vereador em Olho d’Água das Cunhãs-MA, no periodo de 1997 a 2000.


Fonte: Jornal Pequeno

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O usuário é responsável pela repercusão do comentário!